Remarketing e retargeting: qual a diferença entre essas estratégias?
Remarketing e retargeting: qual a diferença entre essas estratégias?
16 de novembro de 2022
Saiba o que é fluxo de nutrição e como fazer para sua empresa
Saiba o que é fluxo de nutrição e como fazer para sua empresa
22 de novembro de 2022

Mídia paga e mídia orgânica: entenda as diferenças

Mídia paga e mídia orgânica: entenda as diferenças

O formato de mídia e os canais onde cada um dos seus tipos de conteúdo são veiculados são algumas dúvidas apresentadas pelos leigos no assunto que desejam conhecer mais a respeito de marketing, mas ficam sem entender o que cada um dos termos significa.

A grande verdade é que uma vez que se conhece de forma mais aprofundada as definições de tráfego pago e orgânico, bem como dos formatos de mídias que são feitas até mesmo para um curso online primeira habilitação, torna-se possível saber quando usar cada um.

É justamente por isso que o marketing digital é tão importante e as demais técnicas de comunicação e persuasão se fazem tão essenciais. Pois, com o uso adequado de cada peça no seu devido lugar, as campanhas podem aproveitar os dois tipos de mídia.

Tanto para uma oficina mecânica injeção eletrônica quanto para uma empresa de contabilidade, fazer uso das peças publicitárias impulsionadas com dinheiro é uma excelente maneira de alcançar grandes e rápidos resultados.

Todavia, quem trabalha na área sabe que nada disso substitui o bom e velho trabalho árduo e cotidiano no modo orgânico, construindo a autoridade da marca com pequenos detalhes.

É precisamente sobre o bom aproveitamento de cada uma dessas circunstâncias que se dará o tema deste artigo.

Com a conceituação de cada um dos tipos de mídia, será possível mostrar como essas ferramentas são úteis, além de dar um palpite forte de qual mídia deve ser utilizada para, por exemplo, vender um controle de acesso e qual se usa para vender assinaturas de TV.

Por fim, ainda será possível listar, de forma sintética e objetiva, quatro dentre as principais diferenças entre mídia paga e orgânica.

Mídia paga e mídia orgânica_1Afinal, o que é a mídia paga?

A mídia paga consiste em uma parte do marketing e da publicidade que exige a compra de um espaço digital para a promoção de uma marca para públicos mais vastos do que os já alcançados.

Ela faz parte da tática de uma marca para potencializar o tráfego, as vendas e as conversões, por intermédio de cliques e, como consequência disso, poder aumentar a receita.

Dessa forma, o recurso se consolida como uma peça fundamental de uma tática de marketing digital para o reconhecimento da empresa e o crescimento da sua receita, ainda que seja uma loja vendendo divisória de drywall para sala.

Essa estratégia atua como o canal e o espaço que direciona a mensagem do negócio e faz a promoção da marca ou da sua mensagem.

O conteúdo patrocinado por intermédio das mídias pagas ajuda as marcas a promoverem as suas ideias, bem como os seus produtos e serviços para os seus públicos-alvo.

Dessa forma, por meio da publicidade paga, os profissionais de publicidade também podem conseguir alcançar usuários que estão buscando de forma ativa por serviços semelhantes.

A tática inclui anúncios pagos por clique, peças de pop-up, anúncios gráficos, conteúdos em vídeo, anúncios em redes sociais, retargeting e diversas outras possibilidades.

Para dar um exemplo, os anúncios pagos por cliques possibilitam que o gestor promova o seu conteúdo no mecanismo de busca, o que atua como uma sugestão para usuários que buscam por produtos ou serviços semelhantes.

A partir disso, um número muito maior de usuários podem encontrar a proposta da marca e as suas diversas ofertas.

Para começar a falar dos principais tipos de mídias deste estilo, é possível citar as redes sociais que, nesse âmbito, dispensam maiores apresentações.

Quase todas as plataformas da atualidade oferecem alternativas de mídia paga, onde é possível investir para publicar anúncios para os visitantes da plataforma verem, a depender de seus interesses e preferências.

Essa configuração é feita levando em conta alguns critérios, tais como o comportamento, os dados demográficos, a localização, dentre diversos outros fatores.

O Facebook, juntamente com o Instagram, mas também as redes como o YouTube, LinkedIn, Twitter, Snapchat e Pinterest, constituem alguns dos canais de melhor desempenho para se fazer anúncio.

Cada um proporciona uma conta empresarial que possibilita criar anúncios personalizados ou impulsionar as postagens existentes, mesmo que se trate do marketing de uma loja de doces artesanais.

Alguns até possibilitam que se solicite que os usuários mandem mensagens, visitem o site da loja, e auxiliem na obtenção de mais leads, que são justamente aqueles visitantes engajados que cadastram os seus dados na página da empresa.

Em seguida, entra também como exemplo a mídia paga pelos mecanismos de busca. Nesse ponto, é possível ter duas modalidades de publicidade paga, que são o Pay-Per-Click, também conhecido como PPC, e o Pay Per Impression, que é o PPI.

O PPC se trata daqueles anúncios que surgem para os usuários, mas o anunciante é cobrado somente quando um usuário clica nele.

Esses anúncios surgem nas páginas de resultados do mecanismo de pesquisa quase como um anúncio nativo, encontrado na parte superior, com uma indicação clara de que se trata de um anúncio.

Por outro lado, os anúncios PPI são cobrados a cada vez que o anúncio é mostrado em um site, independentemente da interação feita ou do clique. Eles são, em geral, cobrados por mil impressões, que também é conhecido como CPM.

Por fim, também é possível citar a mídia paga em banners como exemplo nesse sentido. Os anúncios em banner são, em linhas gerais, imagens que aparecem nos sites por um período determinado, e levam o visitante ao site do anunciante.

Além disso, ele pode ser levado a uma página de destino específica, de modo que esse estilo de anúncio é incorporado ao site do editor na forma de imagem ou gif, mesmo que seja em uma propaganda de instalação de porta de aço.

Desse modo, o desempenho do anúncio é registrado por meio da sua taxa de cliques, isto é, pela quantidade de cliques que chegam à página final do site, dividido pela quantidade de impressões do anúncio.

A depender dos interesses dos usuários direcionados, os anúncios podem ser implementados em sites nos quais eles passarão a maior parte do tempo.

Em que consiste a mídia orgânica?

É possível dizer que a mídia orgânica, de forma bem simplificada e resumida, é a mídia não paga.

Em geral, ela é conquistada por meio do Inbound Marketing, que se trata da oferta de conteúdo relevante, com o intuito de atrair consumidores, direcioná-los do melhor modo ao longo do processo de compra e fidelizá-los.

O conteúdo empresarial direcionado aos canais digitais oficiais, a exemplo dos blog posts, ou mesmo as matérias que citam a organização na mídia tradicional, desde que distribuídos de forma gratuita, podem ser exemplos de mídia orgânica.

Em linhas gerais, o espaço e a mídia, nesse contexto, são conquistados, não comprados. E existem diversas vantagens nesta modalidade.

Uma das vantagens da mídia orgânica é a sua credibilidade. Como o espaço ou a visibilidade devem ser conquistados, pressupõem-se que o conteúdo, e a empresa que o possibilitou, possui qualidade, o que potencializa a confiabilidade.

O resultado disso são consumidores que enxergam a marca como referência no assunto em questão, ainda que a sua especialidade seja vender mochila personalizada para festa.

É criada, dessa forma, uma autoridade, aumentando o sentimento de segurança por parte dos clientes em potencial.

As principais diferenças entre elas

Por fim, e para que seja possível diferenciar, de forma objetiva, prática e sintética, será de grande utilidade fornecer uma lista com algumas dentre as principais diferenças entre as duas formas de anunciar, para que seja possível optar pela melhor para cada contexto.

Desse modo, se até as empresas que vendem produtos bem específicos, como um rastreador portátil com escuta, podem fazer as escolhas mais assertivas com base no conhecimento de cada mídia, também é possível para o leigo conhecer a opção certa.

Por essa razão, é viável citar quatro dentre as maiores diferenças entre a mídia paga e a orgânica. São elas:

  1. Forma de abordagem;
  2. Conteúdos produzidos para cada uma;
  3. Estimativa de retorno;
  4. Velocidade dos resultados.

Como já foi dito, a mídia paga é toda aquela em que se investe dinheiro para a construção de anúncios, de forma que ela é muito importante para alavancar o número de usuários de uma página. No entanto, ela deve ser aplicada com cuidado.

Considerações finais

Por meio do marketing digital, pode-se conciliar os trabalhos feitos de forma orgânica com os anúncios pagos, de modo a dar a cada um a atribuição que pode ser melhor exercida no seu contexto, sem deixar de ressaltar a importância de nenhum dos dois.

Por essa razão, e para que os projetos possam obter sucesso em tempo recorde, os empreendedores precisam, o quanto antes, investir no aprofundamento do conhecimento de cada uma dessas abordagens.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Compartilhe isso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =